Perguntas & Respostas

Autoatendimento no transporte coletivo

Embora o projeto esteja trazendo diversos benefícios para a população e para a economia da cidade, o Sindiônibus e suas empresas continuam atentas e comprometidas com as necessidades das pessoas e trabalhando diariamente na busca de melhorar cada vez mais o serviço de transporte coletivo de Fortaleza e Região Metropolitana.

1 - O que é ônibus de autoatendimento?

É um ônibus sem cobrador onde o passageiro embarca com sua passagem eletrônica com- prada antecipadamente e carregada em algum cartão transporte: Bilhete Único, Carteira de Estudante, Vale-Transporte Eletrônico “passecard”, ou Vale-Transporte Avulso. Ou com o Cartão de Gratuidade, no caso de deficientes, idosos, entre outros.

2 - Por que foi criado o ônibus de autoatendimento?

Há uma clara tendência do desuso do dinheiro em espécie em diversos segmentos no país e no mundo e devido à tecnologia as pessoas ganham uma série de vantagens. O autoatendimento é realidade nos caixas de supermercados, postos de gasolina, estacionamentos, cinemas, entre outros. No Brasil, 63 cidades já contam com ônibus sem cobradores e em 32 municípios já operam com 100% da frota sem nenhum cobrador, segundo a NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos.

3 - O que a população ganha com o autoatendimento nos ônibus?

Agilidade, praticidade e segurança. Além de o embarque ser mais rápido, não é preciso expor a carteira para contar dinheiro, como também há o benefício da integração fora dos terminais, usando Bilhete Único, e descontos na passagem na hora-social de segunda a sábado.

4 - Quanto tempo o passageiro ganha com o ônibus de autoatendimento?

O tempo gasto com cartão é muito menor. Um passageiro pagando a passagem com dinheiro em espécie leva em torno de 25 segundos, enquanto uma pessoa que embarca com sua passagem pré-carregada gasta uma média de 4 segundos. Ou seja, para transportar 100 passageiros, por exemplo, ao invés de se gastar 42 minutos com embarque de passagens em espécie, se gasta apenas 7 minutos de embarque com passagens eletrônicas.

5 - Os ônibus de autoatendimento só aceitam Bilhete Único?

Não. O Bilhete Único é uma das opções de cartão transporte. Se o passageiro não tiver um vale-transporte eletrônico “passecard” fornecido no seu emprego, ou não quiser fazer o cadastro para ter um Bilhete Único com o benefício de integrações, ele pode adquirir um Vale-Transporte Avulso que não é preciso cadastro, pode ser utilizado por terceiros e também é recarregável. Ele está disponível em todos os postos de recarga dos terminais e em vários pontos pela cidade. Além desses, a Carteira de Estudante com créditos também são aceitas.

6 - A população aderiu ao autoatendimento?

Sim. 96% das pessoas que embarcam nos ônibus de Fortaleza já utilizam algum cartão eletrônico.

7 - Turista ou passageiro sem cartão pode usar o ônibus de autoatendimento?

Sim. Esse público pode adquirir um cartão avulso em qualquer terminal ou em pontos comerciais. O aplicativo Meu Ônibus mostra onde tem algum ponto comercial mais próximo da sua localização.

Há também o Cartão Passagem, que foi criado com ilustrações de pontos turísticos de Fortaleza, pensando no turista, e é vendido nas bancas de revista com 5 ou 10 passagens carregadas. Além desses dois cartões avulsos, também foi criada uma nova alternativa para que nenhuma pessoa tenha que descer de um ônibus de autoatendimento por não estar com algum crédito eletrônico no momento.

Todo motorista de autoatendimento agora possui um Cartão Expresso já pré-carregado com R$5,00 e o passageiro pode pagar sua tarifa de R$3,60 e pegar o troco de R$1,40 nos terminais, ou como também pode optar por continuar com esse cartão e inserir mais créditos nele.

8 - E se o passageiro só estiver com os 3,60 em dinheiro poderá usar o ônibus de autoatendimento?

Sim. Todo passageiro será transportado. Os motoristas estão sendo treinados para buscar uma solução e não deixar de transportar nenhuma pessoa que tenha embarcado em seu ônibus.

9 - Todos os cartões recebem crédito?

Sim. Qualquer cartão transporte (Vale-Transporte Eletrônico “passecard”, Bilhete Único, Vale-Transporte Avulso, Carteira de Estudante, entre outros) pode ser recarregado com passagens eletrônicas em pontos de vendas em toda a cidade ou online pelo aplicativo Meu Ônibus. Não há valor mínimo para recarga, exceto nas farmácias Pague Menos que fazem a partir de R$5,00. Pelo site www.vtefortaleza.com.br também é possível fazer recarga através de boleto bancário.

10 - Há pontos de recarga suficiente para atender os passageiros?

Sim. Em toda a cidade há estabelecimentos comerciais parceiros que recebem o dinheiro do passageiro e fazem a recarga de passagens eletrônicas em qualquer cartão transporte. Também é possível fazer recarga em todos os terminais de ônibus, shoppings, rodoviária, bancas de revista, supermercados, diversas farmácias inclusive qualquer Pague Menos, além da opção de fazer a recarga online pelo aplicativo Meu Ônibus, que também mostra a localização de todos os pontos de recarga.

11 - O autoatendimento está gerando desemprego?

Não. Avanços tecnológicos podem gerar mudanças pressionais e isso não é novidade, assim como já ocorreu com outras profissões. O Sindiônibus, o SEST SENAT e as empresas de ônibus associadas criaram um amplo programa para qualificar, direcionar e aproveitá-los em outras funções. A profissão de motorista se destaca na preferência desse público e para isso todas as empresas possuem escolas de formação de condutores, além de termos com o
SENAT um programa voltado para cobradores com treinamento completo, inclusive com adoção de simulador de direção e custeio do processo de habilitação na categoria D, exigida para ser motorista de transporte coletivo. Outras funções também fazem parte do programa, como auxiliares de tráfego, administrativo e até funções fora do setor de transporte.

12 - De que forma o autoatendimento pode ser mais seguro ao passageiro?

Convivemos atualmente com a maior queda no numero de assaltos no setor. Sem o dinheiro fácil e certo do caixa do cobrador, diminui o interesse do assaltante em se arriscar para entrar em um ônibus e tentar roubar os objetos dos passageiros. E os números provam isso. Houve uma redução de 75% dos assaltos a ônibus e passageiros. Em 2018 ocorreu o menor número de assaltos dos últimos 6 anos e em 2019 mantém a tendência da queda. Além disso, quem tiver um cartão de passagens perdido ou roubado pode solicitar o bloqueio do cartão e pedir o reembolso do valor que tinha creditado.

Alô Sindiônibus
(85) 4005.0956

O Alô Sindiônibus é um canal de comunicação acessível ao usuário através do telefone (85) 4005.0956. A Central com 16 atendentes treinados estão disponíveis de segunda a sexta (das 7h às 19h) e aos sábados, domingos e feriados (das 8h às 17h). Esse canal foi criado para atender reclamações, sugestões, elogios ou tirar dúvidas do serviço de transporte coletivo. Todo usuário recebe um retorno da central do Alô Sindiônibus, no período máximo de quatro dias, a contar do dia da ligação.